Em um mercado cada vez mais competitivo, a reinvenção constante é uma característica necessária em qualquer empresa que almeje manter-se forte no mercado. Muitas organizações vêm investindo forte no aprimoramento dos processos, em busca de agilidade e precisão.

O Business Intelligence vem sendo remodelado e está mais avançado do que nunca, e grande parte dessa evolução pode ser creditada ao empoderamento que o Big Data proveu aos gestores. As tecnologias em análise de dados mudaram completamente a forma como as empresas avaliam o mercado e entendem os clientes. Compreenda, neste artigo, o porquê.

Entendendo o Big Data e a análise de dados

Não existindo uma tradução literal representativa para o termo, Big Data consiste na prática de utilizar ferramentas analíticas para verificar grandes volumes de dados oriundos de diversas fontes, internas e externas – como o ERP da empresa, blogs e mídias sociais –, e identificar padrões entre essas informações.

Após identificados esses padrões, as ferramentas analíticas podem oferecer ao gestor e à equipe de BI um quadro completo com as informações sobre os processos da empresa, permitindo que proposições de valor para negócios sejam identificadas de forma mais precisa, facilitando a tomada de decisões.

Norteando as decisões

Avaliar informações operacionais de forma tradicional, isto é, manualmente, demanda um período de tempo grande, além de muito investimento financeiro para a alocação de recursos operacionais. Ainda assim, nem sempre é possível definir com precisão e agilidade as métricas e preceitos a serem seguidos para atingir o objetivo.

As ferramentas de análise de dados do Big Data são capazes de estudar montantes de dados desestruturados e descentralizados de forma ágil. Essas ferramentas automatizam a árdua tarefa de comparar informações operacionais e correlacionar padrões, permitindo que o Business Intelligence possa direcionar seus esforços para o que realmente importa: tomar decisões baseadas em informações.

Conhecendo e entendendo os clientes

Muitas empresas acabam quebrando a cabeça tentando entender os reais motivos pelos quais perdem alguns clientes e, frente a readaptações de processos, acabam não conseguindo reverter os resultados.

O Big Data é um grande aliado nesse caso. Comparando informações sobre processos internos, como vendas e atendimento, e cruzando-as com informações externas (de mídias sociais, por exemplo), é possível avaliar a efetividade do atendimento, as aquisições dos clientes e suas insatisfações.

Os padrões identificados nessa etapa serão úteis na análise de dados para traçar os perfis dos clientes e oferecer serviços personalizados, de forma a minimizar o risco de perdê-los.

Otimizando os processos

São vários os cases de sucesso do Big Data. A gigante UPS, uma das maiores operadoras logísticas do mundo, utilizou ferramentas analíticas para avaliar em tempo real as milhares de entregas efetuadas diariamente. Identificando prioridades, focos de demanda e otimizando rotas, a gigante conseguiu reduzir o consumo de combustível em 1,5 milhão de litros.

Além disso, foram percorridas 12,1 milhões de milhas a menos, o que permitiu que 201 milhões de minutos fossem poupados, otimizando e agilizando a operação como um todo. O Big Data auxilia no atendimento eficiente tanto de clientes externos quanto internos.

Há quem veja o paradigma como sucessor do BI, no entanto, trata-se de um poderoso complemento, que deve estar aliado ao Business Intelligence para que tenham seu potencial extraído por completo.

As ferramentas analíticas somente realizam o trabalho de agilizar processos que, se executados manualmente, demandariam tempo e investimento desnecessários, permitindo aos gestores focarem nas decisões a serem tomadas e em desenvolver negócios.

A sua empresa já tem alguma iniciativa junto ao Big Data? Compartilhe suas experiências com análise de dados nos comentários!